< VOLTAR

#50 Família Castro, Nova Iguaçu – RJ

(Abaixo trechos da história da família elaborada pela produção do Caldeirão do Huck)

A família Castro é formada pela Dona Oselina, de 58 anos, o marido dela Seu Lázaro, de 61 anos, e seus três filhos: Schostners (34 anos), Schostney (32 anos) e Schostilaine (29 anos). Dona Oselina explica os nomes exóticos com orgulho: “o bisavô era alemão”. Eles moram em Nova Iguaçu, na baixada Fluminense, no bairro Vila Borgueth. São uma família muito unida, carinhosa e batalhadora.

Dona Oselina é uma senhora muito simpática e sorridente, e uma verdadeira guerreira. Há alguns anos atrás, ela aprendeu a fazer sabão com uma receita que viu no programa da Ana Maria Braga e resolveu aumentar a renda da família. Com essa atividade, Dona Oselina consegue ganhar cerca de R$200,00 por mês. Ela é casada com Seu Lázaro há 35 anos. Seu Lázaro tem uma Kombi velha que ele usa pra fazer transporte de carvão e alguns bicos de frete.

Os filhos são o orgulho da família: apesar de todas as dificuldades financeiras, Schostilaine conseguiu ser aprovada para a UERJ, onde cursou enfermagem. Hoje ela é enfermeira da UTI pediátrica do Hospital Albert Schweitzer. Ela está noiva e pretender casar em novembro. Já reservou o salão de festas, mas por falta de condições não pagou nenhuma das parcelas. Ela não tem onde morar depois que casar e o sonho é que, com a casa reformada, ela e o marido possam morar juntos na casa da mãe.

Schostney está se formando em Medicina, pela Gama Filho, onde conseguiu bolsa de 100% pelo ENEM/ProUni, ele estuda de dia e trabalha como técnico legista de madrugada no IML (ele é policial civil concursado, mas trabalha apenas na parte médica). Schostners, o filho mais velho, trabalha como conferente na Ambev. Embora os 3 filhos trabalhem muito e tenham renda, todos eles pegaram empréstimos que são descontados em folha, para ajudar na reforma da casa, e por isso o salário no fim do mês vem muito magrinho.

// OS ESTUDOS

Os estudos sempre foram prioridade na casa da Família Castro. Dona Oselina e Seu Lázaro sempre fizeram questão que os filhos se formassem. Eles queriam ter certeza que os filhos tivessem uma vida melhor que a deles, sem fome e sem sofrimento. Seu Lázaro estudou apenas até a 4ª série do primário.

Dona Oselina tinha estudado até a oitava série, mas com incentivo dos filhos ela agora completou o supletivo e tem o diploma do Ensino Médio. Esse ano, eles inscreveram a mãe no ENEM. Ela está animada, mas ainda não decidiu que curso quer fazer.

// A CASA
- FOTOS DO ANTES

Como a prioridade da família sempre foi o estudo, a casa acabou ficando de lado e aos poucos, foi caindo aos pedaços. Havia infiltrações, rachaduras e goteiras por todos os lados. A umidade é muito grande e todos os filhos sofrem com rinite alérgica. Apesar de um problema na coluna, Dona Oselina dorme num colchão no chão, pois as infiltrações estragaram sua cama. Mas o maior problema é que eles não tem fornecimento de água. Já tentaram furar um poço, mas não tiveram sucesso. Eles recebem água dos vizinhos.

Tentando melhorar a situação da família, todos os filhos pegaram empréstimos para fazer uma reforma na casa. Eles construíram um segundo andar (não há escada de acesso), onde ficariam os quartos. Mas o dinheiro acabou, a obra parou e o segundo andar está abandonado. Eles moram improvisados no andar debaixo, em cômodos apertados e com poucas janelas. Ou seja, além de úmida, a casa é muito escura.

// O PROJETO – FOTOS DO DEPOIS

Apesar do muro assustador, feito com pedaços de entulho, o terreno da família é um terreno lindo, enorme, de esquina, em frente à uma praça e o sonho de Dona Oselina é abrir uma sorveteria/lanchonete na casa. Além dos sorvetes, ela também faz doces e salgados e todos concordam que ela é excelente cozinheira.

A família gostaria de resolver o problema de água da casa. Além disso, eles pedem apenas um quarto para cada um e uma casa confortável, iluminada, seca, sem goteiras, etc. Dona Oselina gostaria de uma área de lazer com churrasqueira para poder reunir amigos e familiares que ela nunca tem coragem de chamar para a casa dela.

A cor preferida pela família é lilás/roxo. Foi uma escolha unânime. Schostilaine diz que gostaria de fazer toda a decoração do seu casamento nesses tons.

Como o terreno é MUITO grande, tivemos chance de fazer coisas muito bacanas! Fizemos uma casinha menor para a Schostilaine morar com o noivo depois do casamento.

- Sala

- Cozinha

- Escada e corredor

- Quartos e banheiro

- Um cantinho para os noivos

// MEMORIAL DE CORES – SUVINIL

FACHADA:
Paredes: Roxo – Tulipa Violeta
Moldura portas e janelas: Orquídea Branca

MUROS (pelo lado da rua): Roxo – Aurora Boreal

MUROS (pelo lado de dentro): Orquídea Branca

PORTÕES: Orquídea Branca

SALA: parede divisória estar-jantar: Ipê Amarelo

QUARTO CASAL: parede cabeceira: Lilás – Jardim de Infancia

QUARTO FILHO 1: parede cabeceira: verde – Mar Caribenho

QUARTO FILHO 2: parede cabeceira: azul – Azul Guache

PAREDE DA ESCADA E CIRULAÇÃO: papel parede Coleção Grafismo, Linha Azulejo, Padrão Pipa, cor Roxo 1853, Bobinex

PAREDE LOFT FILHA: papel parede Coleção Grafismo, Linha Arabesco, Padrão Frances, cor Branco_marrom 1835, Bobinex

Demais paredes e tetos: branco neve