< VOLTAR

#51 Família Circo, Ressaquinha – MG

O Lar Doce Lar #51 celebra as memórias do circo! Fomos à Ressaquinha, Minas Gerais, para preparar uma casa cheia de alegria para a família do Seu Pedro.

Confira álbum completo com as fotos no Facebook do Marcelo. Clique aqui.

Seu Pedro (palhaço “Borrachinha”) nasceu no interior de Minas. Os pais trabalhavam na roça. Quando tinha 4 anos perdeu a mãe. Aos 9, o pai. Foi criado por um padrinho trabalhando na fazenda, sem poder estudar (“me sentia um cachorrinho, me davam comida e eu trabalhava na roça). Quando tinha 11 anos um circo passou pela cidade. Pedro se encantou e foi embora com eles. Diz que encontrou ali  a família que não tinha antes (“quando chegávamos numa cidade nova, o dono do circo me apresentava como filho dele. Aí eu me sentia cheio da vida!”). Conheceu D. Wanda, sua mulher, numa apresentação. Ela tinha 14 anos e foi assistir a um espetáculo com um grupo de amigas.

Combinaram de escolher o artista mais bonito. Segundo Seu Pedro, elas gritavam o nome  dele da platéia!!!! Se apaixonaram, mas a família dela achava que “gente de circo é tudo  ladrão” e só permitiram que eles se casassem depois de muita insistência e com  separação de bens, dizendo que o casamento não duraria nem uma semana. Estão juntos há 42 anos. Tiveram 11 filhos, mas apenas 8 estão vivos. ( cada um foi nascendo numa cidade diferente, por conta das andanças da trupe ). Quatro estão casados e quatro moram com eles.

Os filhos foram nascendo e todos acabaram integrados na vida circense. Viviam de cidade em cidade. Os filhos estudavam mesmo assim, pedindo transferência de escola em escola. Dizem que faziam sucesso na escola por terem uma vida diferente. Dormiam em barracas, houve época em que conseguiram uma Kombi, que faziam de quarto…E assim os anos foram passando…Há 6 anos pararam com o circo e fincaram pé na cidade de “Ressaquinha”- MG.

(Fotos: Leonardo Costa)

Apesar de muitos momentos de vacas magras, eles eram felizes com a vida que tinham. Seu Pedro é o clássico palhaço que esconde a tristeza debaixo do tapete. A filha contou que uma vez na escola um professor estava recolhendo alimentos para uma família carente da região e Seu Pedro doou um saco de fubá. Mas era o último saco de fubá que eles tinham em casa. E seu Pedro completa a história dizendo” a gente não tinha dinheiro mas era rico de alegria!”

// PESSOAS QUE MORAM NA CASA

Seu Pedro – 65 anos -  vende bala pela cidade. Ele colocou uma caixa de madeira em sua bicicleta para carregar as balas. Podemos dar um “tapa” nessa bicicleta. D. Wanda – 56 anos – no circo ajudava o marido nas esquetes e também fazia o número da força capilar. Atualmente faz faxina. José Jorge – 17 anos – nasceu em Ressaquinha mesmo. Era palhaço no circo. Atualmente estuda – Quer voltar pro circo Miriã – 19 anos – nasceu em Ubá  – andava na corda bamba – hoje trabalha como cabeleireira no salão “Toda Beleza” no centro da cidade. Wandinha – 23 anos – nasceu em Remédios – ficava na bilheteria do circo – há pouco arrumou trabalho cnum bar ( de 17h às 01 da manhã ) Ozanan – 27 anos – nasceu em Vitorinos – fazia malabares, equilíbrio na tábua  e ajudava nos números de palhaço como “galã” ( nome que dão para o “escada” )- hoje trabalha como cozinheiro em um restaurante numa cidade vizinha.

// A CASA

A casa em que moram é uma espécie de mini sítio. Tem um pomar, onde plantam milho, cana, laranja, etc…para consumo próprio. Há um poço onde criam peixes (tilápia e carpa). Têm também 2 vacas ( de onde Seu Pedro tira leite para as balas de leite que fabrica ) e um galinheiro com 8 galinhas.

As filhas dividem um quarto. Os filhos, outro. A mãe e o pai dormem em pequenos quartos separados porém interligados. ( Seu Pedro está com um problema na perna e às vezes tem que ficar com os pés pra cima. Por isso, está dormindo numa cama onde improvisou uma espécie de “almofada elevada”. Mas ele diz que apesar dos quartos separados, “quando ela sente falta ela pula pra cá”… D. Wanda fica encabulada quando ele conta isso! ) Recentemente a filha Miriã conseguiu um dinheiro e reformou a cozinha (azulejo e moveis novos). Porém a casa tem muitos problemas estruturais e precisa de reformas de base. Eles sonham com uma casa arrumadinha, principalmente por causa da mãe. Gostariam também de um quarto separado para cada filha. Reclamam que o banheiro vive entupido e que a casa é muito escura e com infiltrações. A filha Miriã, que escreveu a carta, adoraria uma casa com “escada para um segundo andar”.

Seu Pedro gosta de mostrar sua pequena coleção de vinis, onde o maior carinho são pelos de Roberto Carlos. A família também tem muito carinho pelas fotos que tem da época do circo. O filho Ozanan comprou um Fiat 98 (ainda está pagando as prestações).

// O PROJETO DEVE TER…

Uma casa bonita e confortável, que valorize as memórias do circo. Como ele colhe milho, cana etc, seria interessante um lugar para armazenamento. A cozinha pode ser caprichada porque ele faz balas de leite e doces com frutas. Também seria bacana mantermos o fogão a lenha que eles têm. Reformar a bicicleta, adaptando melhor para carregar e vender as balas.

(texto editado da carta enviada pela produção do Lar Doce Lar)

// MEMORIAL DE CORES

Moldura das Portas e Janelas = vermelho cereja
Cabeceira Filhos = lago azul
Cabeceira filhas 1 = verde orquidea terra
Cabeceira filha 2 = amarelo jaca
Cabeceira casal = goiaba
Parede listrada da sala = vermelho maça do amor // amarelo girassol
Mureta = ocre